Fábio Duran

Portifólio Web

Quem sou

PERFIL

Sorocabano de 26 anos, formado em jornalismo pelo CEUNSP, teve seu primeiro contato na área da comunicação como representante comercial de um escritório gráfico, em 2005, no qual foi responsável pela captação de novos clientes e pelo design dos materiais gráficos que vendia, processos que conheceu na empresa.

Trabalhou por quatro anos na ONG Pérola, onde ministrou aulas sobre empreendedorismo e colaborou com o setor de marketing, que instigou sua vontade de cursar jornalismo. Lá, foi responsável pela comunicação interna e externa da Associação: implantou os boletins informativos; criou e produziu notícias, releases, vídeos e materiais de divulgação; além de atuar na organização de eventos e manutenção do site e mídias sociais.

Continue lendo...


Fábio Duran Jornalista

Portifólio

Meus trabalhos
Desde que entrou como representante comercial de um escritório gráfico não parou seus trabalhos na área de comunicação. Mais tarde participou do setor de comunicação de uma ONG de inclusão social e digital que aguçou ainda mais seu interesse por jornalismo e design. Na faculdade desenvolveu projetos que se destacaram no Capivaras de Ouro, evento que premia as melhores produções desenvolvidas pelos alunos de comunicação do CEUNSP. Ao lado está o menu de acesso aos principais trabalhos na categoria e abaixo o link de acesso para o site do livro "Reféns", que será lançado em 2017.

LIVRO


/ Blog

Leia alguns dos meus textos
Imagine, desenvolva e realize: o empreendedor e suas virtudes
Por Fábio Duran



Louis Jacques Filion, PhD em empreendedorismo e professor da escola de negócios HEC Montreal, no Canadá, diz de forma bem concisa o que é um empreendedor: “uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões”.

Observando uma necessidade, falha ou até mesmo um problema, o empreendedor o transforma em oportunidade, e muitas vezes criando algo que ainda não existe. Por meio da imaginação ele cria e analisa a viabilidade da ideia, determinando se irá torná-la real. E esta é uma característica importante: a determinação. Em entrevista ao canal Saber Filosófico, Mário Sérgio Cortela define o empreendedor como “alguém que recusa conformidades”, ou seja, que não se limita vai atrás ao invés de aguardar. “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, rememora a música de Geraldo Vandré.

Cortela também fala sobre a valor da humildade para o empreendedor, da constante aprendizagem como enriquecimento das suas capacidades. E distingue: “A humildade é diferente de subserviência, subserviente é aquele que se enfraquece e uma pessoa humilde é aquela que sabe que há coisas que ela ainda não sabe, há coisas que ela pode saber e outras que ela precisa e saberá procurá-las. Por isso um empreendedor que não tiver a humildade como uma de suas qualidades ele deixará de sê-lo em breve”.

Qualidades empreendedoras são pouco estimuladas nas escolas, e a conformidade é uma característica que limita a criatividade. É o desconforto com algo que provoca e pode trazer ideias capazes de transformar algo. “O sistema educacional é muito trabalhando em cima da conformidade, os estudantes devem se conformar, mas o programa empreendedor deve libertar o potencial para a criatividade, porque o que é essencial sobre o empreendedor é que ele deve criar um sistema de atividades que ainda não existe”, afirmou Louis Filion em entrevista ao Sebrae-SP, e reforçando a importância do conhecimento teórico aliado a prática no desenvolvimento de ideias.

Na história temos empreendedores que dispensam apresentações, como Henry Ford e Bill Gates, que reinventaram com as suas máquinas o dia a dia da sociedade. No Brasil destacam-se o apresentador Silvio Santos e o industrial Antonio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim. Mas o empreendedorismo não está tão distante das pessoas como parece. Na região de Sorocaba, interior de São Paulo, destacam-se Alessandra França, criadora do Banco Pérola de microcrédito; e os irmãos José Vicente e Carlos Alberto de Souza, fundadores da Padaria Real.

Para ser um empreendedor é necessário observar as necessidades locais e desprender-se de limitações que possam aparecer. Até porque as limitações podem ser uma oportunidade de sucesso. A principal virtude de um empreendedor é fomentar empreendimentos novos ou que solucionem problemas locais que não dão atenção ou nem foram percebidas.

No próximo artigo abordarei os empreendedores que criaram soluções para resolver alguma necessidade. No qual a observação, o incômodo e a criatividade são palavras chaves.
Salto agora tem mais um ponto turístico, uma ponte com visão panorâmica
| Por: Fábio Duran

Além de possuir inúmeros atrativos turísticos, como um dos maiores monumentos religiosos do país e um granito róseo raro de 500 milhões de anos, a cidade agora conta uma Ponte Estaiada com visão panorâmica. A inauguração foi ontem, 16 de junho, dia em que a cidade comemora 318 anos.

A estrutura instalada sobre o trecho do Rio Tietê na entrada do município pela Rodovia da Convenção Republicana
Foto: Eduardo Saraiva

A ponte tem 213 metros de extensão com 13 de largura e, apesar da obra ter atrasado um ano, sua inauguração foi em um momento propício. E não é por ser aniversário da cidade. O Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP), localizada ao lado Rio Tietê e a poucos metros do novo ponto turístico de Salto (SP), sedia a partir de hoje até domingo (19) o Intercom Sudeste 2016. O evento receberá alunos de comunicação dos estados de São Paulo, Rio de janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

O Intercom, que acontece em todas as regiões (Centro-Oeste, Sudeste, Norte, Sul e Nordeste), premia trabalhos feitos alunos de comunicação em todo o país. Posteriormente há o Congresso Nacional, que avalia os vencedores regionais e premia à nível Brasil. A premiação simbólica beneficia os autores e pode ampliar as oportunidades no mercado de trabalho.

CEUNSP sediará o Congresso de Comunicação da Região Sudeste
Foto: Alisson Simeão
Para o diretor do CEUNSP, Edson Cortez, a nova ponte traz um grande impacto para os turistas que estarão na cidade neste final de semana. “Fantástica! A nova ponte trouxe impacto positivo para a recepção dos visitantes. Com o Intercom a cidade está recebendo muitos cariocas, mineiros e capixabas”, conta animado.

A Ponte Estaiada tem um elevador panorâmico que leva os turistas à um mirante de vidro com capacidade para 110 pessoas, que fica a 41 metros de altura, e oferece uma ampla visão da cidade e do Rio Tietê. A obra deve melhorar o trafego no acesso à cidade e proporcionar boas condições de segurança, além de ajudar no desenvolvimento turístico e econômico da região.

O prefeito Juvenil Cirelli, autoridades locais e deputados da região participaram da inauguração. O governador Geraldo Alckmin também esteve no evento e afirmou que a ponte será o novo cartão de visita da Estância Turística de Salto. "Este observatório panorâmico equivale a um prédio de 12 andares", comparou o governador.

Estado de São Paulo é o maior produtor de flores do país
Desde 2006 o segmento de flores registra altas de 5% a 8% em volume de produção e de 4% a 7% em valor. Em 2014 faturou 5,7 bilhões de reais e tem previsão de crescimento de 8% para 2015. São quase 15 mil hectares produzindo mais de 350 espécies de plantas.

Com cerca de 8 mil produtores no país, o setor é responsável por mais de 200 mil empregos diretos. São Paulo é o estado com maior número de produtores do Brasil (2.288), seguido pelo Rio Grande do Sul (1.550) e Rio de Janeiro (1.030), segundo dados do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor). Além de maior produtor nacional, São Paulo também se destaca como maior consumidor e maior exportador de flores e plantas ornamentais do Brasil.

Holambra, Atibaia, Campinas, Dutra, Paranapanema e Vale do Ribeira são os seis polos produtores de São Paulo. Os polos concentram 20 cidades do Estado, que juntas, são responsáveis por cerca de 60% da produção nacional.

A cidade de Holambra, estância turística pelo estado de São Paulo e sede do Ibraflor, se destaca no cenário nacional e internacional como “a cidade das flores”. O município começou o cultivo de flores em 1951, poucos anos depois de sua fundação e atualmente produz mais de 200 espécies com mais de 3000 variedades.

Outra cidade que se destaca no cenário nacional é Atibaia, conhecida como a “Estância das flores e dos Morangos”, o município tem cerca de 1500 famílias de origem oriental. Os primeiros japoneses chegaram na cidade atraídos pela oportunidade de adquirir terras para cultivar hortaliças e flores. Atualmente Atibaia representa 25% da produção de flores do país com aproximadamente 400 produtores e 500 hectares voltados para esse tipo de cultivo.

Haroldo Yuji Fujihara produz plantas rasteiras em Sorocaba, interior de São Paulo. Em sua produção encontra-se pingo de ouro, grama amendoim, aptenia, onze horas, gota de orvalho, ericas, russelia, impatiens, lantana, clorofito, unha de gato, rabo de gato, azulzinha, jasmim, bela emilia, ixoria, entre outras.

Foto: Haroldo Fujihara

"Comecei meio levando na brincadeira”, diz Haroldo, que trabalhou por dois anos para o seu tio como vendedor no CEAGESP de São Paulo. Ele entrou no ramo logo após retornar ao Brasil, quando não sabia o que fazer. Ele morou por quatro anos no Japão. “O mesmo tio me disse que eu podia continuar no ramo de plantas”, conta, “iniciei fazendo compra e venda, e com o passar do tempo comecei a produzir, sem experiência nenhuma, mas com o decorrer dos anos fui adquirindo experiência no ramo”.

Em uma área de aproximadamente 10.000m² são feitas estaquias das plantas, método que consiste no plantio de pequenas estacas de caule, raízes ou folhas, que com umidade se desenvolve novas plantas. “Cada uma tem o seu tempo de enraizamento variando de 20 a 60 dias”, revela Fujihara, “a vantagem é que giram rápidas, e as dificuldades seriam temperaturas muito baixas e altas demais”.

Atualmente ele conta com 5 funcionários e tem cerca de 100 mil mudas plantadas mensalmente. Seus principais clientes são as floras, paisagistas e jardineiros.

Publicado em:

Medium:
https://medium.com/de-olho-na-agronomia/estado-de-s%C3%A3o-paulo-%C3%A9-o-maior-produtor-de-flores-do-pa%C3%ADs-fb2b2c2fc643#.su58v1ni9

‘Gourmetização’ dos pratos exóticos aumenta procura em açougue especializado
| Por Fábio Duran

As carnes exóticas são criadas no Brasil desde a década de 1960 e vem ganhando espaço na culinária nacional.

Foto: Fábio Duran

Para o empresário Thiago de Oliveira, sócio proprietário da Bonbife carnes de Sorocaba, interior de São Paulo, a ‘gourmetização’ de pratos exóticos aumentou a procura em seu açougue. A clientela pode comprar as carnes tradicionais, mas há dez anos a casa de carnes também oferece desde o pernil de javali até o filé de cauda de jacaré.

Entrevista com Thiago de Oliveira — Açougue especializado em carnes exóticas
Repórter: Fábio Duran / Edição: Fábio Duran / Imagens: Joana Maria e Natali Mazzatto

VARIEDADE

Além da tradicional carne bovina, suína e frango, o estabelecimento também vende carne de cordeiro, cabrito, capivara, javali, coelho, rã, jacaré, pato, codorna, avestruz, faisão e marreco. As carnes exóticas são vendidas congeladas e, assim como as outras carnes, se descongelada não deve ser congelada novamente, para não perder o sabor e os nutrientes.

O açougue vende no atacado e varejo, seus principais clientes são restaurantes. A rã e o pato são as carnes exóticas mais procuradas.

Publicado em:

Medium Carnes Exóticas
https://medium.com/carnes-ex%C3%B3ticas/torta-salgada-de-r%C3%A3-e-legumes-4c5c4032458e#.r0vgti4rq

Curiozitty
http://www.curiozitty.com/2015/09/gourmetizacao-dos-pratos-exoticos.html


Investir em ações é para qualquer pessoa, desde que haja planejamento e atenção
Por Fábio Duran

Existem mais de meio milhão de brasileiros que investem na bolsa de valores, segundo dados da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBovespa) de abril deste ano. Foram contabilizados 584.864 investidores, sendo 96% de Pessoas Físicas. O critério utiliza o CPF cadastrado em cada agente de custódia, ou seja, pode contabilizar o mesmo investidor caso ele possua conta em mais de uma corretora. O fato é que o número não chega a 1% da população brasileira.

Especialistas dão dicas para quem pretende entrar no mercado de ações (Ilustração: Reprodução internet)

Segundo o portal InfoMoney o Brasil está em grande defasagem se comparado aos EUA, que tem 65% da população investindo em ações. Uma pesquisa do Instituto Rosenfield, encomendada pela BM&FBovespa em 2012, mostra que as pessoas não investem em ações por desconhecimento, falta de dinheiro, baixa renda e medo do risco. 12% dos entrevistados veem a Bolsa como investimento "para ricos".

A administradora de empresas Carolina Paiffer, que opera no mercado financeiro há 10 anos, revela que a bolsa de valores não é exclusividade dos ricos. “A pessoa pode fazer um pé de meia para o futuro e começar com 100 reais por exemplo. Ou seja, qualquer um pode investir”, afirma.

A Bolsa de Valores é o órgão que controla o mercado de ações, registra as operações de compra e venda dos investidores. É possível investir em quantas empresas quiser, e o retorno pode ser negativo ou positivo, dependendo da empresa escolhida. “É como comprar qualquer coisa, se comprar um terreno por 10 e vender para o João por 12 teve rentabilidade de 20%. Se você comprar por 10 e não tiver ninguém interessado e você vender por 8 teve prejuízo. Apenas isso, oferta e demanda todos os dias”, explica Carolina.
Ação dos Traders* na Bolsa de Valores de São Paulo (Foto: Galeria de Léo Pinheiro)

A pesquisa também mostra que o brasileiro prefere investir em poupança, menos rentável, contudo, menos arriscada. Mas segundo a Comissão Nacional de Educação Financeira (Conef) quase metade dos clientes de bancos usam a poupança mais como conta-corrente do que como investimento para o futuro.

Para o economista Valdir Juvêncio o investimento em bolsa de valores é, teoricamente, o que dá o maior retorno sobre o valor investido. “O juro sobre o capital tende a ser maior do que qualquer outro investimento, sendo poupança, CDI, CDB, por exemplo. Isto torna interessante o investimento em ações”, diz.

Mas Juvêncio não acredita que o investimento em ações pode deixar uma pessoa rica, pois depende muito do conhecimento do mercado, de comprar e vender no momento certo. “Pois somente assim você vai conseguir lucrar mais com esse tipo de investimento. É comprando em baixa e vendendo em alta”.

“Vale lembrar que nas corretoras tem muito material didático para começar a aprender, inclusive no site da BM&FBovespa”, sugere Carolina Paiffer

Carolina conta que existem investimentos curtos Ela compra e vende dólar no mesmo dia, movimentação conhecida como daytrade. Mas para o pequeno investidor tem que ser de longo prazo. “Ele tem que entender que existem oscilações e não ficar nervoso com qualquer queda. Eu aconselho começar com um fundo, pois através do fundo você pode começar a poupar todo mês e tem um gestor, uma pessoa com certificação para gerir os investimentos de todos que fazem parte”, explica.

Ela indica que o primeiro passo é abrir um cadastro em uma corretora. Todas trabalham de forma parecida: o corretor irá explicar como funciona e ajudar com base nos objetivos e valores que se quer investir. Através deste cadastro o investidor terá um Home broker (como se fosse um internet banking), onde poderá acompanhar os investimentos até pelo celular. “Não precisa conhecer muito, mas precisa entender que tem risco, ou seja, não venda sua casa para investir na bolsa. Invista um dinheiro que você gastaria com bobagens e procure o conselho de um corretor. Ele não vai te cobrar pela consultoria e vai te poupar de vários erros comuns”, alerta.

*O trader, no contexto de investimentos financeiros, é um especulador, que se engaja na transferência de ativos financeiros, para alguma instituição ou para si próprio e vivem essencialmente da atividade de operador de mercado de ações
Julio Rocha conta detalhes da peça TUDO POR ELA ao Mural Interativo
| Por Fábio Duran |

O ator Julio Rocha esteve na FCAD para divulgar a peça que estará hoje (30) na Sala Palma de Ouro, em Salto (SP), às 21h. Ele deu uma entrevista exclusiva ao Mural Interativo.

Julio Rocha dá entrevista ao Mural Interativo (Foto: Caroline Moraes)
Julio, que já atuou em mais de mais de sete novelas e diversas participações em filmes e séries, sobe ao palco para interpretar Eddie Cosby, um pop star excêntrico reconhecido por sua autenticidade, irreverência e estilo. A caminho do teatro Cosby recebe a ligação de Lika, sua namorada, que termina o namoro pouco antes dele entrar no palco, prestes a lançar um novo single de hip hop.

Ao entrar em cena Cosby não consegue disfarçar sua indignação. “Ele mostra o lado totalmente frágil de um homem apaixonado, todas as m*** que um cara pensa e que geralmente a gente acha que só as mulheres refletem a respeito, que se tornam engraçadas”, descreve o interprete. O desfecho deste drama você confere na peça TUDO POR ELA.

Ele nos conta que a interatividade com o publico é o ponto forte do espetáculo. “É um misto de várias coisas: tem stand-up, tem improviso, eu chamo a galera para subir ao palco”, descreve, “tem um número muito especial com uma pessoa que eu escolho na plateia, e eu desço várias vezes, é uma espécie de show de comédia”, revela. “Vale lembrar que nada de deixar ninguém constrangido, pelo contrário, é um lance que as pessoas gostam de participar, elas se sentem valorizadas e não poderia ser diferente”.

“Eu não vejo muita graça em humor que desprestigia o próximo, que desprestigia as diferenças, ou a mulher ou o homem”

Mas a atuação não é sua única participação na peça escrita por Mara Carvalho e dirigida por Patrícia Vilela, que já trabalharam na série ‘Carga Pesada’, da TV Globo. Ele também é o responsável pelo figurino do personagem.

Sua inspiração foi o rapper norte-americano Macklemore, “ele tem um jeito muito engraçado, e na maioria dos clipes dele ele usa um casacão de pele, e eu consegui esse casaco cara”, conta empolgado. O próximo passo dado foi ir a uma loja feminina comprar uma calça diferente para o personagem. “É difícil fazer figurino de teatro, pois ao mesmo tem que ter uma linguagem teatral, e dizer imediatamente um pouco de sua personalidade”, conta.

A cada cidade por onde passa um grupo de hip hop é convidado para se apresentar no espetáculo, uma oportunidade de divulgar os artistas da região ao publico que frequenta o teatro e promover a arte hip hop.

Confira o convite que ele deixou aos leitores do Mural Interativo:

Contato

Contato